Agosto é o mês dos pais e eu não poderia deixar de fazer algo parecido com o que fiz no dia das mães, quando escrevi sobre algumas lições que ela tinha me ensinado sobre empreendedorismo e carreira.

Agora escrevo sobre algumas lições que meu pai, Vilson, me ensinou sobre empreendedorismo, carreira e sobre a vida. Coisas que na época eu nem entendia, mas que hoje levo comigo e vou repassar para as próximas gerações!

 

1 – Seu nome é seu bem mais valioso

Uma das coisas mais importantes que meu pai ensinou foi que a gente precisa zelar pelo nosso nome. Não o nome propriamente dito, mas o que ele representa.

Você é seu nome. O que vai identificar você durante a vida e até depois da morte é seu nome. Então, a gente precisa ser honesto e correto pra não manchar este que é o único patrimônio que dura para sempre.

Se tem uma coisa que eu aprendi com meu pai e sigo à risca é essa ideia de não manchar meu nome, principalmente com dívidas. Não devo pra ninguém. Nunca pedi dinheiro emprestado. O máximo de dívida é o meu cartão de crédito e o conserto do meu carro, que parcelei na oficina. Aliás, se você gosta de se endividar, um carro é a melhor maneira de fazer isso!

Claro que isso não quer dizer que você nunca possa ter uma dívida. Afinal, a gente costuma comprar coisas no crédito, pendura uma conta aqui, outra ali. Até aí, tudo bem. Desde que você pague em dia e não seja picareta a ponto de dever e não fazer o mínimo esforço pra pagar e ainda desdenhar. Aí é ser muito cara de pau!

Honre com as calças que veste e pague sempre o que você deve. E se não consegue pagar, seja homem a ponto de tentar dar um jeito, explicar, não viva a vida fingindo que nada aconteceu. Não deixe que falem por aí que você é um caloteiro. Não suje seu nome desta maneira.

Ninguém é perfeito e vai fazer tudo certo pra sempre. Somos humanos e falhamos. Mas é nosso dever buscar zelar pelo nosso nome e, portanto, passar um legado para os nossos filhos. Ou, pelo menos, não passar dívidas pra eles já é um bom começo.

 

2 – Nunca compre o que não pode pagar

E pra manter seu nome sempre limpo, evite comprar o que não pode pagar. Somo a esse ensinamento uma frase de minha avó (e peço que me perdoe pela linguagem, mas era assim que ela falava): quem não tem c*, não faz contrato com pica!

Então, principalmente você que quer empreender, tome cuidado. Não pegue empréstimos sem ter uma boa noção do que está fazendo. Não arrisque demais. Não comprometa todo o seu dinheiro.

Os economistas dizem que você não pode gastar mais do que 30% do seu salário em dívidas, parcelamentos e prestações. Então pense nisso antes de comprar um carro financiado ou fazer aquele monte de compras no cartão.

Aliás, se tem um cara que odeia cartão de crédito e acha isso o pior negócio que existe, esse cara é meu pai. Mas, isso eu não obedeci. Uso cartão sim. Mas com muita sabedoria, claro! Afinal, eu sempre me lembro da frase do Tio Ben:

Com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

via GIPHY

 

3 – Estudo em primeiro lugar

Assim como minha mãe, meu pai sempre me incentivou a estudar e buscar ser sempre o melhor. Ele sabia que no país em que vivemos um dos caminhos para conseguir ter uma vida boa era estudar e se qualificar para o mercado de trabalho. 

Eu só não obedeci muito quando ele falou que eu deveria fazer Contabilidade. Nunca me dei bem com números e preferi seguir a faculdade de publicidade e trabalhar com o que eu amo, a criação de conteúdo, marketing digital e redação.

 

4 – Aproveite os momentos com sua família

Desde que me conheço por gente, lembro das datas comemorativas com toda a família reunida. Natal, ano novo e carnaval principalmente. Todos se reuniam. Juntavam os tios, primos, filhos, agregados. Todos juntos para comer, beber, se divertir e celebrar a união.

Os problemas sempre existiram, mas nem por isso deixávamos de nos reunir. Inclusive isso era um motivo pra resolver as desavenças. Mesmo com o passar dos anos e com algumas pessoas nos deixando, ainda assim ele me ensina que devemos manter fortes estes laços. Enquanto estivermos vivos precisamos ficar junto daqueles que amamos.

 

Agora, te convido a deixar nos comentários alguma lição que você tenha aprendido com seu pai (seja biológico ou não, afinal, pai é quem cria e educa). Deixe seu comentário, espalhe as lições que você aprendeu para mais pessoas. Vamos incentivar esse tipo de troca de experiências.

E não se esqueça de agradecer seu pai por toda essa sabedoria que ele lhe passou!

 

—————

Este artigo também está lá no meu perfil do LinkedIn

Se quiser receber artigos como este por email, é só se cadastrar:http://eepurl.com/cqEXXv

Você também pode receber meus artigos semanais pelo whatsapp, é só se cadastrar neste link: http://cvtt.me/2p0LR9b (E pode relaxar, vou mandar uma vez por semana apenas, sem encher o seu saco!)

Ps.: Se você estiver acessando pelo computador, é necessário estar com o Whatsapp Web ativo. Ao clicar no link, você vai enviar uma mensagem automática pra mim, assim vou poder te adicionar na minha lista de contatos pra enviar meus conteúdos e, também, você poderá falar comigo normalmente. Nada robótico. Sou eu mesmo, conversando com você, crescendo junto com você! 

Aproveite e curta a minha página no Facebook: facebook.com/guisantospro

😘

 

—————

Guilherme Santos: Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduando em Mídias Sociais e Marketing Digital, atua na área de comunicação desde 2007.

É especialista em criação de conteúdo e marketing digital. Apaixonado pela escrita, trabalha como redator freelancer para diversos clientes em todo o Brasil. Faz parte do time de redatores da Contentools, escreve uma coluna semanal no Jornal de Laguna, além de públicar artigos em seu blog, LinkedIn e em portais parceiros que divulgam seus conteúdos.

Também vem ajudando pessoas e empresas a desenvolverem seus perfis no LinkedIn através de consultoria, gerenciamento de publicações, treinamentos e palestras.

 

—————

Gostou do texto? Curta, compartilhe e comente. Vamos trocar ideias!

Você vai gostar desses artigos também

Gosto de ver os comentários. Escreve algo aí!