No dia 31 de outubro de 2018 fiz esse publicação:

Como você pode ver, critiquei a postagem que a Exame fez em sua página do Facebook, sobre a nomeação de Marcos Pontes como ministro. Eu (e muitos que comentaram) entenderam que a postagem tinha tom desdenhoso com o profissional.

A partir daí ela começou a viralizar pela rede. Curtidas e comentários não paravam de crescer. Quando escrevia este artigo a postagem já tinha ultrapassado 90 mil views e não vou me espantar se extrapolar a marca de 100 mil!

Pra alguns dos grandes nomes desta rede, pode parecer uma terça-feira chuvosa. Deve ser comum ter milhares de views e curtidas. Mas pra mim é um feito incrível! Eu sou de Laguna, litoral sul de SC, uma cidade com menos de 50 mil habitantes, não tenho pretensão de ficar super famoso aqui e, por isso, atingir números tão expressivos em um post comum é realmente fora de série.

Como isso aconteceu? Como fazer um conteúdo viralizar no Linkedin? O que eu aprendi com esse episódio?

Senta que eu te conto tudo!

 

1 – Nada se compara ao alcance que o LinkedIn pode ter

Eu tenho pouco mais de 5 mil seguidores no LinkedIn. Quem gosta de números diz que isso é bem pouco. Apesar de conhecer os “hacks” para aumentar alcance e número de seguidores, não costumo fazer isso. Sempre deixei minha rede crescer naturalmente, sem forçar a barra. Quem me segue, segue porque quer e porque acredita que eu entrego algo de valor.

Ter 5 mil seguidores e alcançar 100 mil só prova o poder desta famigerada rede social! Enquanto as páginas no Facebook sofrem pra entregar as postagens para 5% de sua audiência (na melhor das hipóteses), aqui a maioria dos posts alcança mais do que o número total de seguidores.

Aliás, o alcance da minha rede aumentou 2000% com este post! É ou não é uma prova do quanto o LinkedIn é sensacional?

 

2 – Porém, visibilidade pode não adiantar muita coisa

Quanto maior sua rede, mais gente acaba vendo sua publicação, fato. Mas visibilidade não significa autoridade. Você pode ser famosão, alcançar um monte de gente, porém pode não conseguir transformar isso em negócios. Do que adianta ter inúmeros seguidores se você não gera nenhum valor pra eles?

Essa postagem me confirmou que viralizar algo serve muito mais pra saciar as métricas da vaidade do que para trazer resultados concretos.

Uma das formas que uso pra avaliar o sucesso de uma publicação é o quanto ela gerou de novos contatos para o meu Clube Vip no Whatsapp. Quem pede pra participar é porque me conheceu, gostou do que eu faço e quer receber alertas quando sair um artigo novo. Neste caso recebi pouquíssimas solicitações novas.

O número de novas conexões aumentou, como era esperado, porém nada extraordinário. O que me leva a crer que, mesmo comentando e curtindo a postagem, muitas pessoas não se interessaram em saber mais sobre mim, sobre o que faço, sobre os outros conteúdos que crio. Isso me confirmou mais uma coisa:

 

3 – Polêmicas rendem engajamento, mas não rendem conexões reais e alinhadas com o foco do seu negócio

Este post surfou a onda de um assunto em voga naquela semana. Apesar do foco da minha publicação ser voltada para a abordagem feita pela Exame no post, os comentários foram os mais diversos, trazendo pontos e assuntos que nem faziam parte do cerne da questão.

Posts relacionados à política, mesmo que ela não seja o ponto central, são como um barril de pólvora. E você está fumando um cigarrinho em cima desse barril!

Assuntos polêmicos rendem engajamento, pois todos querem expor suas opiniões, principalmente nestas épocas de grande polarização. No entanto, as conexões geradas não costumam estar alinhadas com o seu core business.

No meu caso, poucas das novas conexões talvez se interessem por redação e produção de conteúdo, área onde trabalho e de onde pretendo conseguir clientes e parceiros. É como falei no artigo “Como fazer todo mundo ler o que você escreve”:

Lembre-se que o Cidade Alerta faz mais sucesso que o Globo Ciência, mas a gente sabe qual deles traz um conteúdo melhor e realmente faz diferença na vida das pessoas, não é mesmo?

 

4 – Às vezes não importa o que você fala, as pessoas vão entender o que elas quiserem

Se você consegue fazer uma boa interpretação de texto, vai notar que meu post é uma crítica ao Social Media da Exame que usou uma linguagem de desdém só pra ganhar cliques na matéria. No entanto, muita gente leu e entendeu o que teve vontade.

Alguns começaram a comentar sobre a indicação ser boa ou ruim, sobre o passado de Marcos Pontes no exército e depois na iniciativa privada, sobre o que o futuro espera com ele no comando do ministério e teve até quem disse que o seu professor de graduação deveria ser indicado no lugar. Teve de tudo!

Infelizmente nem todo mundo realmente entendeu a minha crítica, que nem dizia respeito à matéria e, sim, ao post. Mesmo assim…

 

5 – Aguente as repercussões do que você escreveu

Quando uma postagem viraliza, por mais que ela tenha uma mensagem boa, a chance de aparecer algum pé no saco pra comentar qualquer besteira é grande! Lembre-se que as pessoas sempre vão entender as coisas do jeito que elas querem, por isso há a possibilidade de você receber um feedback que não goste.

Seja lá como for, sempre mantenha a classe. Tente explicar suas ideias nos comentários, sem grosseria, tentando mostrar seus pontos e sanando quaisquer dúvidas e mal entendidos. Eu costumo sempre curtir e responder todos os comentários (embora alguns se percam no meio de tantos quando o post faz sucesso), exceto aqueles que me ferem de alguma maneira ou que são muito sem noção. Não dou ibope pra gente idiota.

 

Bônus – Aprenda com as experiências vividas.

Por fim, a maior lição que devemos tirar é saber avaliar os prós e contras. Como você pode ver aqui, não é porque a publicação atingiu quase 100 mil visualizações que ela foi um sucesso. Não é tão simples assim. Não quando você está em busca de muito mais do que apenas visibilidade. Quando se busca qualidade nas conexões é preciso analisar melhor tudo que foi gerado.

Mas não tenha medo de postar o que pensa e tem vontade. Vai na fé! A pergunta a ser feita é: o que você tem a perder? Se não tem nada a perder, manda brasa. Depois avalie o que aconteceu e tente melhorar nas próximas.

Espero que você consiga criar conteúdos incríveis, que alcancem muitas pessoas e, principalmente, gerem valor pra quem lê!

 

 

—————

Este artigo também está lá no meu perfil do LinkedIn

Se quiser receber artigos como este por email, é só se cadastrar:http://eepurl.com/cqEXXv

Você também pode receber meus artigos semanais pelo whatsapp, é só se cadastrar neste link: http://cvtt.me/2p0LR9b (E pode relaxar, vou mandar uma vez por semana apenas, sem encher o seu saco!)

Ps.: Se você estiver acessando pelo computador, é necessário estar com o Whatsapp Web ativo. Ao clicar no link, você vai enviar uma mensagem automática pra mim, assim vou poder te adicionar na minha lista de contatos pra enviar meus conteúdos e, também, você poderá falar comigo normalmente. Nada robótico. Sou eu mesmo, conversando com você, crescendo junto com você! 

Aproveite e curta a minha página no Facebook: facebook.com/guisantospro

😘

 

—————

Guilherme Santos: Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduando em Mídias Sociais e Marketing Digital, atua na área de comunicação desde 2007.

É especialista em criação de conteúdo e marketing digital. Apaixonado pela escrita, trabalha como redator freelancer para diversos clientes em todo o Brasil. Faz parte do time de redatores da Contentools, escreve uma coluna semanal no Jornal de Laguna, além de públicar artigos em seu blog, LinkedIn e em portais parceiros que divulgam seus conteúdos.

Também vem ajudando pessoas e empresas a desenvolverem seus perfis no LinkedIn através de consultoria, gerenciamento de publicações, treinamentos e palestras.

 

—————

Gostou do texto? Curta, compartilhe e comente. Vamos trocar ideias!

Você vai gostar desses posts também

Gosto de ver os comentários. Escreve algo aí!