Nessa semana (abril de 2017) o brasileiro sofreu mais um duro golpe, que promete afundar o Brasil no retrocesso. A Câmara dos Deputados aprovou um projeto que, na prática, transforma serviços como o Uber, em táxis. Aqueles que querem trabalhar com o Uber vão precisar de licença da prefeitura e tudo mais que um taxista precisa. Ou seja, ao invés de facilitar também o trabalho dos taxistas, diminuindo a burocracia e etc, o governo, como sempre, resolve complicar e acabar com a inovação, aumentando as dificuldades.

Um artigo de Fernando Schuler, para a Época, explica um pouco o porque de sermos um dos países mais atrasados do mundo. E não é força de expressão. Por conta da burocracia estamos em 181º entre 190 países no ranking do Banco Mundial que mede a facilidade para pagar impostos. Por isso, nossas empresas gastam 2.038 horas todos os anos para lidar com tributos, contra 163 horas na média dos países da OCDE.

Não é à toa que sua mãe sempre disse: Faz um concurso, meu filho! Claro! Somos o país dos concurseiros pois empreender é uma verdadeira epopeia! São milhares de taxas, documentos, sindicatos, leis e mais leis que, com a premissa de proteger, acabam por destruir todas as chances de liberdade e prosperidade.

A má notícia é que o cenário, mesmo que melhore, nunca será o ideal. Sinto em dizer, mas o Brasil não tem mais jeito! Tornar o país mais competitivo e menos burocrático significaria tirar o poder do governo e dar mais liberdade para os cidadãos fazerem suas escolhas (ainda que erradas). Significa diminuir custos e isso inclui cortar cargos públicos, diminuir salários do alto escalão e fazer uma profunda reforma política, previdenciária, trabalhista, legislativa e judiciária! Não é fácil!

O Brasil é como um prédio. Foi sendo construído ao longo dos anos, cheio de falhas. Hoje está meio de lado, com as paredes rachadas e quase caindo. Mas tem um monte de gente lá dentro. E gente que não tem pra onde ir. Ou são feitos reparos pra tornar o prédio menos inseguro ou bota tudo a baixo, doa a quem doer e tudo começa do zero. Saindo da analogia para o mundo real, isso só seria possível se acontecesse uma grande tragédia que destruísse boa parte das nossas instituições, fazendo com que tudo fosse repensado do zero. Esse é o cenário que ninguém quer!

 

Então, como sobreviver em meio ao caos?

Como dizia um amigo meu: Pra se dar bem no Brasil só tem um caminho, o aeroporto! Pega um avião e vai embora!

Não é a solução mais fácil e acessível. Também não é a que eu faria no momento.

Então, qual a outra opção?

Faca nos dentes, terço na mão. Foco, força e muita fé pra acreditar que as coisas podem melhorar. E, principalmente, participação e colaboração para a mudança. Ainda que seja difícil sobreviver, não desista. Participe da política também, afinal, ela é um importante fator para a mudança do Brasil e pode facilitar a vida para todos os cidadãos. Mas isso só vai ser possível se houver mais participação e pressão popular sobre as decisões que nos impactam.

E mais: Não acredite quando alguém diz que o Brasil não tem solução. Nem quando eu digo isso. O Brasil precisa de pessoas que acreditem que tudo pode mudar. Mesmo que eu não acredite muito, espero que você e muitas outras pessoas me façam mudar de ideia. Eu quero mudar de ideia!

 

—————

Este artigo também está lá no meu site: www.guisantospro.com/blog

Se quiser receber artigos como este por email, é só se cadastrar:http://eepurl.com/cqEXXv

Você também pode receber meus artigos semanais pelo whatsapp, é só se cadastrar neste link: http://cvtt.me/2p0LR9b (E pode relaxar, vou mandar uma vez por semana apenas, sem encher o seu saco!)

Ps.: Se você estiver acessando pelo computador, é necessário estar com o Whatsapp Web ativo. Ao clicar no link, você vai enviar uma mensagem automática pra mim, assim vou poder te adicionar na minha lista de contatos pra enviar meus conteúdos e, também, você poderá falar comigo normalmente. Nada robótico. Sou eu mesmo, conversando com você, crescendo junto com você! 

Aproveite e curta a minha página no Facebook: facebook.com/guisantospro

?

———

Guilherme Santos: Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduando em Mídias Sociais e Marketing Digital, atua na área de comunicação desde 2007 e escreve uma coluna semanal no Jornal de Laguna desde 2014. Fundou, juntamente com um sócio, em 2015 a startup Crush Design, especializada na criação e venda de móveis em formato digital. Também tem uma empresa de marketing e publicidade, que hoje se chama Gui Santos PRO, e é especializada em redação e criação de conteúdo. Também executa serviços de social media e design gráfico para diversos clientes.

Gostou do texto? Curta, compartilhe e comente. Vamos trocar ideias!

Você vai gostar desses posts também

Gosto de ver os comentários. Escreve algo aí!