Escolher o que você vai fazer depois que sair do ensino médio não é fácil, né!? E se é fácil, parabéns, você é um dos poucos que tem uma opinião bem formada, uma visão de futuro e não sofre com a influência dos familiares na hora de escolher qual faculdade seguir.

Peraí… a faculdade que você quer fazer foi uma “sugestão” dos seus pais? Rolou aquela velha forcinha pra fazer você seguir a profissão da família ou trabalhar fazendo aquilo que sempre foi o sonho dos seus coroas? É… a gente te entende!

Nossos pais dizem pra gente seguir uma carreira, nossos amigos falam que o caminho é outro e a gente vê na internet, nos noticiários, trabalhos que seguem um rumo totalmente oposto a tudo isso aí. Como escolher? Quem ouvir? O que fazer? E agora, quem poderá me defender?

Calma. A gente vai te ajudar nessa!

1 – Primeiro passo: relaxe. Ter dúvidas sobre o seu futuro é normal.

Antes de qualquer coisa, relaxe. Fique sabendo que é normal não saber qual caminho seguir. E é normal querer pensar com calma sem se precipitar. Inclusive, uma pesquisa feita pelo Portal Educacional com 2 mil adolescentes mostrou que 54% dos estudantes do 3º ano do ensino médio ainda não decidiram qual carreira querem seguir.

Ah e tem um dado que a pesquisa não mostra: desses 46% que já sabem o que querem, boa parte deles tá indo na onda dos seus país e vão entrar em uma faculdade que não se identificam. 

E tem mais: ninguém dá uma mãozinha pra fazer a vida do estudante ser mais fácil, incentivando que ele passe o ensino médio aprendendo mais sobre suas opções e como escolher seu caminho.

De acordo com o Portal Educacional, apenas 10% das instituições fazem um trabalho específico de orientação vocacional nesse sentido. O resto só se atém a levar os alunos a uma feira no fim do terceirão ou dar uma pincelada sobre alguns tópicos que podem cair no vestibular.

Os diretores dessas instituições devem ter aprendido e levado como um mantra esse ensinamento de suas avós: “te vira que tu não é quadrado!”. No fim, você estudante, é que segura o rojão. Por isso, não se sinta mal por ter suas dúvidas. Ninguém te ajudou a resolvê-las ainda.

2 – Faça o estudo ser natural, não uma obrigação

Muita gente é excluída do processo aqui nessa dica. Por mais que a escola e o modelo de ensino seja um saco e de péssima qualidade em nosso país, se você quer chegar até a faculdade, é preciso que tenha gosto pelo estudo. Não precisa ser o CDF, não. Você tem que ter gosto por aprender, ler, saber mais, evoluir.

E, hoje em dia, com a internet… ah meu amigo, você não sabe a sorte que tem! Qualquer pessoa pode aprender tudo que precisa apenas lendo ou até mesmo vendo vídeos no Youtube. Então, para de ficar jogando ou assistindo gameplay de Minecraft e passe a assistir canais com conteúdo educativo. Existem vários com aulas, dicas, assuntos interessantes e que realmente ajudam bastante a tornar o estudo algo natural. Nós, inclusive, sugerimos canais com muito conteúdo legal: Nerdologia, CanalNostalgia, Descomplica e o próprio canal do Google sobre educação, o Youtube Edu, onde você pode encontrar conteúdo dividido por disciplina e tema, inclusive dos canais já citados acima e diversos outros.

Existem tantos conteúdos incríveis e enriquecedores, que muitos professores utilizam eles até em aula, para tornar o ensino muito mais dinâmico e divertido. Convenhamos: é muito mais fácil estudar e aprender assistindo algum vídeo com uma linguagem jovem e excelentes recursos audiovisuais , do que com aquele professor que só rabisca no quadro e manda fazer exercícios do livro, né!?

Outra dica pra tornar tudo natural é criar rotinas de estudo, planejar seus horários e fazer cursos. Tudo isso ajuda. E quando falamos em tornar tudo natural, isso inclui saber os momentos em que você deve relaxar, não fazer nada, sair, até ir pra balada. Se você mergulhar nos estudos, também corre o risco de se afogar. Então, não mergulhe. Surfe esta onda, de boa!

Prepare seus horários e calendário de estudos

Uma boa forma de fazer o estudo ser algo natural é transformá-lo em hábito. Quando você incorpora ele no dia a dia, isso passa a ser algo trivial e você nem vê que está estudando, não sente aquela pressão.

Você pode começar a fazer um cronograma e separar seu dia em partes: você terá um tempo reservado para ir à aula, um tempo pra lazer, Netflix, Videogame e, claro, um bom tempo para o estudo.

Neste momento do estudo planeje o que vai fazer, quais matérias vai estudar e o que vai abordar. Quanto melhor for o seu planejamento, mais fácil vai ser manter uma rotina e o foco.

Os tipos de cronogramas e meios que você usará pra isso podem ser os mais variados. App para celular, anotações no caderno, num quadro, post-its, as boas e velhas marcações no calendário. O importante é manter tudo organizado. Outra dica é trabalhar mais aquelas matérias que você tem dificuldade. Então, dedique um tempo maior para elas.

Abaixo separamos um vídeo bem legal pra você aprender afazer um planner semanal, que vai te ajudar a se manter totalmente organizado. Dá uma olhada! 

Vale a pena dar uma olhada nesse também, que fala sobre revisão e métodos de estudos: 

3 – Busque ser o melhor aluno

Não se esqueça que além de ler livros e ver coisas interessantes na internet, você ainda precisa aprender o conteúdo curricular e tirar boas notas. Não se contente em ser o aluno nota 7. Nunca! Mario Cortella já dizia: Medíocre é aquele que, mesmo sabendo que pode fazer o melhor, se contenta em fazer apenas o possível. Inclusive, se você não sabe quem é Mario Sérgio Cortella, fica a dica pra dar um tempo nos vídeos do Cocielo e pesquisar um pouquinho as lições incríveis de um dos mais importantes filósofos do Brasil.

Acredite, você nunca vai se arrepender de ter dado o seu melhor e aprendido mais que todo mundo. Acredite na gente: no futuro, tudo que você aprendeu e até mesmo o bullyng que sofreu por ser o melhor aluno, vai valer a pena. Pode apostar!

Aliás: alguém ainda faz bullyng com outra pessoa por ser o melhor aluno? Isso é tão anos 90!

4 – Lute por uma bolsa na faculdade

Ainda estamos longe de ter uma educação superior, das boas como em outros países onde existem diversos tipos de bolsas de estudo e o acesso à faculdade é maior. Aqui as coisas não estão muito bem, mas também não estão tão ruins assim. É possível ter acesso a bolsas integrais e parciais pelo PROUNI e muitas instituições também oferecem diversos tipos de incentivos.

A primeira dica é estudar muito, fazer simulados, cursos e tudo que puder pra se dar bem no ENEM. Se você se dedicar e caprichar nessa prova a chance de garantir alguma bolsa no curso que você deseja é grande! Com foco você consegue!

E mesmo se não for de primeira, ainda pode se matricular no curso que gosta e ir se candidatando a bolsas da própria instituição. A grande maioria possui bolsas de pesquisa, onde você ganha descontos que podem chegar a 100% e, em troca, você vira um pesquisador, que vai aplicar os conhecimentos do seu curso na comunidade ou em programas específicos da instituição. 

Ah, ainda existem diversos tipos de financiamento, como o FIESdentre outros particulares, onde você paga uma pequena parte da mensalidade e o resto fica pra depois de formado.

A dica é pesquisar bastante as opções e instituições que você deseja ingressar e ver quais as facilidades que elas oferecem. Se você quer, você vai conseguir!

5 – Pense (com carinho) qual curso e carreira vai seguir

Escolher a carreira não é algo tão fácil. Algumas vezes temos apenas aquela ideia de fazer algo só porque nossa família incutiu isso em nossa mente. Não caia nessa! A vida é uma só, então faça o que você gosta e o que vai te fazer feliz. Se você fizer algo que te deixa feliz e for um bom profissional, vai conseguir dinheiro com isso, relaxa.

Realmente algumas carreiras têm certa facilidade em ganhar dinheiro, precisamos concordar. Mas dinheiro não é tudo. Não adianta ganhar muito dinheiro e depois de alguns anos ter que gastar tudo em planos de saúde porque você está quase morrendo de tanto estresse, não é?

Porém, se você escolher uma carreira apenas pensando no dinheiro, fique tranquilo. Também não tem nada de mal nisso! O importante é fazer o que gosta. E se você gosta mesmo é do dinheiro, não importando se vai precisar fazer algo que não é muito fã, então ok! Vai nessa!

6 – Busque aconselhamento vocacional

Apesar do nosso oráculo, o Google, saber a resposta para todas as coisas do universo, talvez ainda seja interessante buscar ajuda de profissionais e instituições de ensino que consigam traçar um perfil e entender qual pode ser o melhor caminho para o seu futuro.

Talvez os próprios professores da sua escola consigam te dar uma boa ajuda, se você ainda tem dúvidas quanto ao seu futuro profissional. Outra dica é conversar com profissionais que você já conheça e trabalhem na área que você deseja. Eles vão te falar coisas que educadores, livros e textos da internet muitas vezes não contam.

 E, falando em internet, aqui você vai encontrar vários questionários com testes vocacionais que pode fazer para ter uma boa ideia sobre qual o seu perfil. Porém, existem algumas ferramentas bem direcionadas e específicas para cada tipo de estudante, onde é feita uma análise do passado, do presente, para então projetar qual pode ser o seu futuro.

Se você quer ter o máximo de certeza em suas decisões, um aconselhamento vocacional individual é aquilo que você precisa pra garantir que saia do ensino médio direto pra faculdade e, o melhor, sem se arrepender depois.

7 – Divida a responsabilidade com seus pais

É você que vai precisar estudar, tirar notas boas, passar de ano e depois se inscrever em um vestibular para ser aceito em alguma faculdade. Porém você pode dividir um pouco dessa responsabilidade com seus pais. Não a responsabilidade de estudar, de colocar a mão na massa. Isso é com você!

Mas, quem sabe, você possa conversar com eles e mostrar como esse momento é importante, como é complicado passar por tudo isso sozinho e que você está preocupado em ter uma educação de qualidade, que te dê o suporte necessário para ingressar em uma carreira de sucesso e te transformar no orgulho da família!

Nesse papo, além de ganhar pontos com seus pais (obviamente), você pode dividir com eles a responsabilidade sobre o seu futuro, afinal eles ainda são os responsáveis por te proporcionar uma educação de qualidade. Você pode, então, avaliar a hipótese deles te matricularem em uma instituição de ensino especializada no desenvolvimento do estudante objetivando o acesso à faculdade.

Dessa forma você não deixa pra se preocupar com a faculdade só ao final do terceirão. Durante todo o ensino médio você pode ir se preparando, estudando, evoluindo psicologicamente e analisando todas as suas possibilidades, até chegar o momento de decidir qual o rumo seguir na sua vida.

Assim fica muito mais fácil sair do ensino médio e ir direto pra faculdade. Acaba o sofrimento, as dúvidas, a correria. Acaba o ano e você tá tranquilão, na praia, com a certeza de que seu futuro está garantido.

Ou quase. Só falta agora enfrentar a graduação, os trabalhos de conclusão de curso, a inserção no mercado de trabalho, mais cursos, pós-graduação, mestrado… e por aí vai. Mas isso já é assunto pra outro post.

Por hora, te desejamos boa sorte. A faculdade te espera!


Antes de você ir embora, deixa eu te mostrar mais dois textos que falam sobre a faculdade.


Este artigo foi criado como parte de um trabalho para a disciplina de Webwriting da Pós-Graduação em Mídias Sociais e Marketing Digital da Unisul.

Fica, portanto, o agradecimento aos colaboradores e amigos Marcelo Menezes e Eduardo Jeremias


Este artigo também está lá no meu perfil do LinkedIn

Se quiser receber artigos como este por email, é só se cadastrar:http://eepurl.com/cqEXXv

Você também pode receber meus artigos semanais pelo whatsapp, é só se cadastrar neste link: http://cvtt.me/2p0LR9b (E pode relaxar, vou mandar uma vez por semana apenas, sem encher o seu saco!)

Ps.: Se você estiver acessando pelo computador, é necessário estar com o Whatsapp Web ativo. Ao clicar no link, você vai enviar uma mensagem automática pra mim, assim vou poder te adicionar na minha lista de contatos pra enviar meus conteúdos e, também, você poderá falar comigo normalmente. Nada robótico. Sou eu mesmo, conversando com você, crescendo junto com você! 

Aproveite e curta a minha página no Facebook: facebook.com/guisantospro

😘

—————

Guilherme Santos: Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduando em Mídias Sociais e Marketing Digital, atua na área de comunicação desde 2007.

É especialista em criação de conteúdo e marketing digital. Apaixonado pela escrita, trabalha como redator freelancer para diversos clientes em todo o Brasil. Faz parte do time de redatores da Contentools, escreve uma coluna semanal no Jornal de Laguna, além de públicar artigos em seu blog, LinkedIn e em portais parceiros que divulgam seus conteúdos.

Também vem ajudando pessoas e empresas a desenvolverem seus perfis no LinkedIn através de consultoria, gerenciamento de publicações, treinamentos e palestras.

—————

Gostou do texto? Curta, compartilhe e comente. Vamos trocar ideias!

Você vai gostar desses posts também

Gosto de ver os comentários. Escreve algo aí!