Como diz a velha máxima: rir é o melhor remédio. Se sua vida ou empresa não está indo bem, o bom humor pode salvar o dia.

Mas, principalmente na publicidade, nem sempre foi assim. Antigamente os publicitários entendiam que suas peças deveriam informar em primeiro lugar. O bom humor só deveria ser empregado em produtos simples, para classes mais baixas. Propaganda de “marca grande” deveria ser séria.

Ainda bem que tudo mudou! Principalmente depois que a publicidade, a propaganda e o marketing começaram a se tornar objeto de estudo e se transformaram em cursos de grandes faculdades.

Aí começamos a entender que o bom humor humaniza as marcas, aproximando elas de seu público, gerando engajamento e, principalmente, provocando respostas físico-químicas no corpo das pessoas. É a tal da felicidade surgindo.

E pessoas felizes compram mais!

Os efeitos físico-químicos do bom humor no corpo

Se eu te perguntar quais peças publicitárias você se lembra, provavelmente citará aquelas com maior carga emocional. É bem provável que as que usam do bom humor sejam as mais lembradas. Mas por quê?

A resposta é simples: sorrir faz bem pra nossa saúde.

“Um indivíduo bem-humorado sofre menos porque produz mais endorfina, um hormônio que relaxa”, diz o clínico geral Antônio Carlos Lopes, da Universidade Federal de São Paulo. Mais do que isso: a endorfina aumenta a tendência de ter bom humor. Ou seja, quanto mais bem-humorado você está, maior o seu bem-estar e, consequentemente, mais bem-humorado você fica. Eis aqui um círculo virtuoso, que Lopes prefere chamar de “feedback positivo”. A endorfina também controla a pressão sanguínea, melhora o sono e o desempenho sexual.

Algumas experiências e estudos já constataram os resultados práticos de um sorriso. Sorrir diminui a dor e o estresse, aumenta a longevidade e pode ajudar a prevenir até doenças do coração.

O bom humor gera respostas positivas no nosso corpo e, por isso, tendemos a buscar cada vez mais aquilo que nos faz bem. Coisas que geram respostas positivas ficam guardadas na nossa memória. Se sua marca está na memória de alguém e, de quebra, de forma positiva, tá formada a receita para o sucesso.

 

Exemplos do bom humor que marca e vende

Apostar no entretenimento gera engajamento. Fato! É só analisar alguns bons exemplos de campanhas e até o próprio posicionamento estratégico de algumas empresas.

A Netflix, por exemplo, aposta no bom humor em todas as suas criações e na comunicação com seu público nas redes sociais.

Há alguns anos o Bomnegócio.com ressuscitou o É o Tchan e fez seu vocalista, Cumpadre Washington, virar meme na internet.

E esse “anúncio” non-sense feito pelo Vó Santa Supermercados, usando bom humor e referências aos filmes dos Vingadores, apenas em uma página que o repostou já teve mais de 30 mil compartilhamentos!

Não há dúvidas: é mais fácil compartilhar e se engajar com algo engraçado.

 

Como usar o bom humor para vender mais?

Você já sabe que o bom humor marca e vende. Mas como usar isso em seu negócio? Será que todo tipo de produto ou serviço pode ter o bom humor como estratégia?

De fato, é preciso ter cuidado. Ainda mais hoje em dia onde todo mundo tem o poder de reclamar, se sentir ofendido, se mobilizar e usar a internet para disseminar descontentamento e até ódio.

O sucesso de uma campanha ou estratégia que utiliza o bom humor depende de vários fatores. Não é uma receita de bolo. Nem sempre vai dar certo. Mas existem algumas coisas que você pode fazer pra aumentar as chances de bons resultados.

  • Esteja atento ao que acontece a sua volta, os assuntos do momento e saiba aproveitar o timing. Os memes e notícias atuais podem gerar boas ideias e engajar o público de modo muito dinâmico.
  • Na dúvida, use um tipo de humor que não ofenda ninguém.
  • Veja o que falam sobre você e seus concorrentes. Você pode tirar boas ideias e repensar em estratégias sabendo ouvir e entender o que está acontecendo a sua volta.
  • Não preciso citar que conhecer o seu público é essencial, né? Em TUDO que você for fazer. Conheça seu público e saberá como conversar e engajá-lo da melhor maneira.
  • Contrate profissionais. Seja para escrever um blogpost, criar postagens para as redes sociais ou desenvolver campanhas e estratégias, é sempre recomendável que você contrate profissionais especializados para isso.

Inclusive, se precisar de um profissional experiente para fazer produção de conteúdo para sua empresa, fale comigo! Meus contatos estão abaixo. Você também pode se conectar comigo aqui no Linkedin e bater um papo.

Vamos juntos criar conteúdos interessantes e bem humorados!

 

—————

Este artigo também está lá no meu perfil do LinkedIn

Se quiser receber artigos como este por email, é só se cadastrar aqui!

Você também pode entrar no meu grupo privado do Whatsapp e receber os meus artigos e novidades em primeira mão! É só clicar aqui!

E pode relaxar, pois o grupo será apenas pra você receber as novidades, sem encheção de saco e sem um monte de gente falando assuntos aleatórios. Eu prometo!

Aproveite e curta a minha página no Facebook: facebook.com/guisantospro

😘

—————

Guilherme Santos: Formado em Publicidade e Propaganda e pós-graduando em Mídias Sociais e Marketing Digital, atua na área de comunicação desde 2007.

É especialista em criação de conteúdo e marketing digital. Apaixonado pela escrita, trabalha como redator freelancer para diversos clientes em todo o Brasil. Faz parte do time de redatores da Contentools, escreve uma coluna semanal no Jornal de Laguna, além de públicar artigos em seu blog, LinkedIn e em portais parceiros que divulgam seus conteúdos.

Também vem ajudando pessoas e empresas a desenvolverem seus perfis no LinkedIn através de consultoria, gerenciamento de publicações, treinamentos e palestras.

—————

Gostou do texto? Curta, compartilhe e comente. Vamos trocar ideias!

Gosto de ver os comentários. Escreve algo aí!